quinta-feira, 27 de junho de 2013

3223) O colecionador maluco (27.6.2013)




(Marcelo Grassman)

Há uma frase de H. G. Wells capaz de intrigar qualquer leitor. Disse ele, no transcorrer de uma argumentação qualquer: “Um milionário maluco que encomendasse obras-primas apenas para queimá-las acabaria descobrindo não ser capaz de comprá-las”. Meu primeiro entendimento foi de que se um maluco comprasse quadros de Renoir e Van Gogh e os incinerasse, logo ninguém lhe venderia telas, para que não atrapalhasse o mercado. Ou talvez com um horror diante de tal crime, porque até contrabandistas e falsários têm amor à verdadeira arte. (Não é por desdém a ela que fazem o que fazem.)

Mas suponhamos que Hans Rottens