sexta-feira, 2 de setembro de 2011

2651) BR-61 (2.9.2011)



“Sacrifica-me um filho”, disse Deus a Abraão,
e ficou à espera do “por quê?”,
mas Abraão era filósofo e apressou-se a obedecer.
Uma pira funerária foi erguida na montanha,
e o rapaz foi amarrado e untado de banha.
O facão no esmeril soltou chispas multicores,
e nisso Deus apareceu,
mediante rodas, labaredas e rumores.
“Pra que essa faca, Abraão!”, exclamou com voz assustada.
E o outro: “Oxente, Senhor! Não mandastes sacrificar esse camarada?”.
E Deus: “Mandar mandei, mas não falei em facão nenhum!
Libera o boy para ele ir ganhar a vida na BR-61!”.

Pior foi Samuel Caolho
que, com uma crise