terça-feira, 3 de novembro de 2009

1345) Um título é sempre uma promessa (6.7.2007)



(Jacques Derrida)

Jacques Derrida dizia que “um título é sempre uma promessa”. (Não quero botar pose de leitor de Derrida: li a citação num livro de outro cara.) Isto é interessante porque o Papa da Teoria da Desconstrução é um desses filósofos que desconfiam de tudo, que levantam o tapete em todas as salas, que olham qualquer frase contra a luz para ver se é falsificada. Que ele chame a algo uma promessa é uma declaração de confiança implícita, de concessão momentânea à fé.

É fácil concordar com isto quando pegamos livros intitulados Guia Prático da Tradução Inglesa ou A Vida de Napoleão. Títulos assim são auto-explicativos, não nos permitem muita dúvida, além de serem de uma concisão admirável. Chegamos a um alto grau de síntese se nos compararmos aos nossos colegas do século 18. Diz-se que o primeiro livro impresso no Brasil intitulava-se Relação da Entrada que fez o Excelentíssim