quinta-feira, 18 de junho de 2009

1099) Os contos de Rosa (23.9.2006)



Tutaméia (1967) é um dos melhores livros de contos de nossa literatura. Ainda assim, na minha opinião pessoal não chega aos pés de Sagarana (1946) e Primeiras Estórias (1962). No seu primeiro livro, o de 1946, João Guimarães Rosa estabeleceu um tipo de conto em que se casavam com perfeição estilo, tema e formato. O melhor formato para Rosa é o conto longo, ou noveleta, como são as histórias de Sagarana (especialmente “A Hora e Vez de Augusto Matraga”) e de Corpo de Baile, livro tão maciço que depois foi desmembrado em três. Um romance como Grande Sertão: Veredas é exceção. Mesmo que Rosa tivesse vivido até os 90 anos (ou seja, até 1998), não sei se teria chegado a produzir outro livro com aquelas dimensões, aquela escala.

Primeiras Estórias é magnífico, é superior a Tutaméia (publicado no ano da morte do autor), mas já começa a denunciar certos maneirismos, certo excesso de síntese, que, paradoxalmente, é um dos cacoetes