quarta-feira, 10 de junho de 2009

1086) A linha evolutiva (8.9.2006)



Numa entrevista famosa à Revista Civilização Brasileira, por volta de 1966 ou 67, Caetano Veloso (então um jovem compositor que surgira em festivais mas não tinha gravado nenhum disco) afirmou: “O que precisamos é retomar a linha evolutiva da Música Popular Brasileira”. Esta expressão tornou-se slogan, abre-te sésamo, abracadabra, pedra-de-toque, palavra-de-ordem para intermináveis discussões nas quatro décadas seguintes. Prova de sua importância é o fato de que aqui estou, exumando-a mais uma vez e constatando que seu motorzinho ainda funciona.

Caetano queria dizer, acho, que a MPB precisava de novas sonoridades e estruturas de composição, uma nova poética nas letras, uma nova concepção cênica, enfim, todas essas coisas que o Tropicalismo acabou